Sacos Alvejados para revenda


Preço do Algodão não vai Baixar

11/03/2011 12:49

 

Porque o preço do algodão não vai abaixar

Por Dr. A. Cleveland O.
Professor Emérito da Universidade Estadual do Mississippi
Para a Bayer CropScience
 
Os preços do algodão têm apresentado a mais fantástica alta da história, tendo aumentado mais de 100 por cento em menos de seis meses. Enquanto os preços estão acima de seu recorde de 157,23, a alta permanecerá forte e aquecida em 2012, com grandes possibilidades de se manter em 2013. A nova safra de Dezembro (Dezembro de 2011) continuará acima do patamar de um dólar e pode chegar a um dólar e mais centavos.

De volta a Rússia em 1970, quando ela teve a decisão política de aumentar a dieta da população. Em 1973, o país sofreu a maior queda da cultura do trigo de sua história. Precisando do alimento para manter a política da dieta do país, enviaram representantes aos USA e em um final de semana compraram uma grande quantidade de trigo dos USA. Quando a bolsa abriu na segunda feira pela manhã ninguém entendeu porque os preços subiram para o seu ápice – e lá continuou por vários dias. Então os negociadores notaram que os compradores russos compraram toda a oferta de trigo americano. Após muito tumulto, o trigo saltou de US$ 2,50 para acima de US$ 6,00. Outros itens tiveram um pequeno aumento mas o trigo era a única comoditie com déficit de produção. Também a situação de oferta / demanda foi resolvida e o preço voltou a seu patamar habitual. Nessa época a Rússia queria alimentar a 130 milhões de pessoas.

Chegamos a 2000 e agora a China e a Índia tomaram a decisão política de aumentar a dieta das pessoas. Os chineses escolheram a carne de porco e os indianos as aves – lembramos que os animais precisam de grãos. Esses dois países estavam se alimentando bem a mais de 1 bilhão de pessoas – 10 vezes mais que a Rússia em 1973. Nesse processo, a China se tornou o maior importador do mundo de milho e soja (eles já eram o maior importador de algodão). Mais adiante os USA, em uma decisão política de usar o milho para produzir etanol. Em meados dos anos 2000 também enxergaram significantes desastres nas culturas de oleaginosas e trigo (Europa e Austrália, respectivamente). Assim, o mundo estava a beira de um colapso de alimentos pelo ano de 2005. A demanda de oleaginosas, grãos para ração e para alimentação saltou para bem acima da oferta e os preços dispararam. Ainda, o algodão está com a mais alta demanda nos registros. Os preços se moveram rapidamente em favor dos grãos e oleaginosas, deixando cair a área de plantio do algodão.

O mundo não está mais a beira de um colapso nos alimentos, mas as fontes continuam a se esgotar. O mundo tem utilizado o seu excedente de algodão – e ainda levará 5 anos para fazê-lo. Tudo isso diz que a economia funciona. Os fornecedores de algodão usam o mercado para equiparar com os grãos e as oleaginosas. Mais especificamente, os preços entre as diversas culturas devem voltar aos originalmente praticados. Isso é o que provoca o overprice no algodão. Ainda a oferta mundial de algodão não se recompõe em 1 ano, como também o estoque de oleaginosas e grãos como estão hoje. O algodão está agora em um ciclo competitivo de plantio e permanecerá assim por no mínimo 2 anos e especificamente até todas as comodities se recomporem.

O próximo passo será a utilização de novas áreas para produção – o que tem de sobra. Ainda, isso levará de 5 a 10 anos. Enquanto isso o algodão continuará seu ciclo de alta e ainda veremos por vários meses a escalada mágica de seu preço em US$.


 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!